No dia 31 de maio, às 14:00, na sala 2218, terá um seminário com o Dr. Claudio Maekawa. O título será: Assimetria matéria-antimatéria do universo: a busca por fontes da assimetria e as teorias efetivas (Tef).

Resumo:

Entender a razão da predominância de matéria sobre a antimatéria é uma das questões fundamentais ainda não respondidas. Propostas incluem teorias de grande unificação, teorias de antimatéria escura e até mecanismos de metamorfose de léptons em bárions. No âmbito experimental a busca se faz

em duas frentes: busca de novas partículas e detecção de desvios nas previsões do modelo padrão para as propriedades das partículas conhecidas. Nesta segunda frente veremos como as Tef solucionam os problemas gerados pelos modelos fenomenológicos na análise das propriedades das partículas.

Ex-diretor do Instituto de Matemática Pura e Aplicada (Impa) e um dos mais importantes e prolíficos autores de livros de matemática do país, com 40 títulos publicados, o alagoano Elon Lages Lima morreu na manhã do último domingo, aos 87 anos. Ele recebeu duas vezes o Prêmio Jabuti de Ciências Exatas, da Câmara Brasileira do Livro. Também foi mentor de jovens matemáticos de destaque no país, como o ganhador da Medalha Fields Artur Avila, além de Carlos Gustavo Moreira, também do Impa, Ralph Teixeira, da UFF, e Nicolau Saldanha, da PUC-Rio, entre outros.

— Eu era aluno de graduação, em Portugal, quando ouvi falar de Elon pela primeira vez, por meio de seus livros. Ninguém, nos dois países, contribuiu como ele para a criação de uma literatura matemática em língua portuguesa — afirma o diretor-geral do Impa, Marcelo Viana.

Para o ex-diretor do Impa Jacob Palis, Elon “foi um excelente matemático, escritor e didata”.

— Ele deu uma contribuição muito grande ao Impa, desde o início, integrando um grupo pequeno e de alta qualidade.

Membro titular da Academia Brasileira de Ciências desde 1963, Elon Lages Lima foi diretor do Impa entre 1969 e 1971; de 1979 a 1980; e de 1989 a 1993, além de presidente da Sociedade Brasileira de Matemática de 1973 a 1975 e integrante do Conselho Nacional de Educação e do Conselho Superior da Faperj. Ele recebeu, ainda, a Ordem do Mérito Científico na Classe Grã-Cruz, da Presidência da República, e o Prêmio Anísio Teixeira, do Ministério da Educação.

A formação inicial do matemático foi no Ceará. Ao chegar ao Rio, Elon presenciou a fundação do Impa, por Leopoldo Nachbin e Maurício Matos Peixoto. Obteve os graus de mestrado e doutorado na prestigiosa Universidade de Chicago, onde se especializou em Topologia Algébrica, entre 1954 e 1958, e recebeu o Prêmio Edna M. Allen.

Após voltar ao Brasil, Elon se tornou pesquisador do Impa. Com uma bolsa Guggenheim, esteve em Princeton e Columbia e foi influenciado pelo americano Stephen Smale, ganhador da medalha Fields — abrindo caminho, inclusive, para que outros pesquisadores do Impa, como Jacob Palis e César Camacho, fossem orientados por Smale, hoje pesquisador honorário do Impa. Elon foi professor da UnB, de onde pediu demissão em 1965, após o início do regime militar.

FORMAÇÃO E DIVULGAÇÃO

Além de pesquisador de alto nível, Elon sempre compreendeu a importância da divulgação da Matemática e da formação de professores, áreas em que desempenhou um papel de protagonista nacional. Colaborou para estruturar os cursos de licenciatura, bacharelado e pós-graduação da Universidade Federal do Ceará, de onde recebeu, em 1989, o título de Professor Honoris Causa. Ele também era doutor Honoris Causa da Universidade Federal de Alagoas.

Elon idealizou e dirigiu as coleções “Projeto Euclides” e “Coleção Matemática Universitária” e foi o criador, em 1990, do PAPMEM (Programa de Formação e Aperfeiçoamento de Professores do Ensino Médio), que continua ativo e já beneficiou mais de 20 mil professores do país. Talvez porque tenha sido justamente na educação básica o início de sua brilhante trajetória de matemático, como professor, aos 18 anos, no Ginásio Farias Brito e no Colégio Estadual do Ceará.

O matemático era casado com Carolina Celano e tinha cinco filhas da primeira união, com Valdece.

Fonte: https://impa.br/page-notices/

 

A ação "Ciência Impressa", iniciativa do Laboratório de Impressão Científica, Educacional e Tecnológica - LICET, faz parte da Mostra de Extensão e Cultura (Caravanexc) promovido pela Pró-Reitoria de Extensão e Cultura da FURG.

Ciência Impressa tem coordenação do Prof. Everaldo Arashiro e participação dos discentes Conrado Roddick e Suzielli Martins Mendonça e dos docentes Aline Guerra Dytz, Matheus Jatkoske Lazo e Dinalva Aires de Sales. O projeto visa instigar tantos aos alunos da FURG como a própria comunidade a verem a física como parte de suas vidas cotidiana, de uma forma mais prática e objetiva, utilizando a impressão 3D para criar experimentos físicos/mecânicos.

O primeiro dia da Caravanexc aconteceu, no dia 26/06,  no campus de  Santa Vitório do Palmar. E os próximos serão nos campi Santo Antônio da Patrulha (12/05) e São Lourenço do Sul (26/05). Nesses dias levados o telescópio, espectroscópio, modelo do sistema solar entre outros produtos produzidos pelo LICET com o auxílio da tecnologia de impressão 3D.

As professoras Mauren Porciúncula e Suzi Samá, do Instituto de Matemática, Estatística e Física (Imef) participam da 8ª Bienal da Sociedade Brasileira de Matemática, que ocorre entre 23 e 30 de abril, no Rio de Janeiro. Integrando a programação, Suzi Samá coordenou a mesa redonda “A formação do professor de Matemática para inovar e promover o Letramento Estatístico”, que contou com a presença dos palestrantes Mauren Porciúncula – FURG, Humerto Boltolossi – UFF e Luciane Velasque - Unirio.

A Bienal de Matemática tem o objetivo de despertar o interesse dos estudantes para a pesquisa e o ensino da Matemática e disseminar o conhecimento matemático em todo o país, propiciando a estudantes e professores uma visão ampla da Matemática e suas aplicações.

No período de 27 a 30 de abril de 2017, está acontecendo também o Festival da Matemática, parte da Bienal e também do conjunto de iniciativas de popularização da Matemática durante o Biênio da Matemática (2017-2018), instituído no Brasil. No festival, as professoras da FURG participam como debatedoras no Cine Clube de Matemática e Estatistica – “O Prazer da Estatística”, um documentário apresentado pelo professor Hans Rosling, que leva os expectadores a uma viagem pelo mundo da Estatística, ao explorar o poder que essa ciência tem de mudar o entendimento do mundo.

O Programa de Pós-Graduação em Física do Imef promove a apresentação do seminário intitulado "Morfometria paramétrica e não paramétrica em imagens simuladas de galáxias: Um estudo do índice Concentração C e das quantidades efetivas de Sérsic.", com o palestrante Geferson Lucatelli. O encontro será realizado no dia 26 de abril de 2017 às 14h, na sala 2218 - pavilhão 2 do Campus Carreiros.

 

Resumo:

A classificação morfológica de galáxias possui a finalidade de entender como esses objetos se formaram e evoluem. No presente seminário, será apresentado rapidamente os métodos de estudo desses objetos, tal como a fotometria e morfometria. Estas vem sendo muito aplicadas em dados observacionais, entretanto, obter informações a cerca dos parâmetros intrínsecos (fotometria) não é um procedimento simples pois não são facilmente mensuráveis. Nesse sentido, é importante executar medidas morfométricas sobre objetos onde são conhecidos os devidos parâmetros. Assim será apresentado a ideia de simular imagens de galáxias através da lei de Sérsic, adicionando os componentes bojo e disco de diferentes maneiras, para uma análise possa ser feita. Esta é realizada com o uso do algoritmo morfometryka e no TCC investigou-se o comportamento dos índices morfométricos concentrações C_1 e C_2, do sistema não paramétrico CASGM ( concentração C, assimetria A, suavidade S, Gini G e momento de luz M) como também das quantidades efetivas de Sérsic, isto é, os parâmetros intrínsecos efetivos - quantidades globais medidas na imagem da galáxia como um todo.
Será mostrado os principais resultados do trabalho, dentre eles que o índice de Sérsic efetivo n_{ef} pode ser superior ao do bojo n_b, comportamento que até o presente momento era desconhecido. A concentração C é bastante afetada por uma combinação bojo+disco, ou seja, a presença de um disco contribui significativamente para seu valor. Adicionalmente, tanto n_{ef} como C_1 e C_2 são degenerados, i.e. galáxias com diferentes estruturas podem apresentar mesmos valores para essas quantidades.
Por fim, algumas discuções gerais serão esboçadas com relação a continuação do trabalho que estamos executando no mestrado.

O Programa de Pós-Graduação em Física do Imef promove a apresentação do seminário intitulado "Exoplanetas - O sistema TRAPPIST-1", com a palestrante Laura Neves do Amaral. O encontro será realizado no dia 12 de abril de 2017 às 14h, na sala 2218 - pavilhão 2 do Campus Carreiros.

Resumo:

Em Fevereiro deste ano, a agência espacial norte-americana, NASA, em um anúncio especial, divulgou a descoberta de 7 exoplanetas semelhantes à Terra orbitando uma estrela do tipo anã vermelha da sequência principal, que foram detectados com a ajuda do telescópio TRAPPIST (Transiting Planets and Smallplanets with a Small Telescope), Spitzer e VLT (Very Large Telescope). A descoberta destaca-se, além do citado acima, pelo fato do tipo da estrela hospedeira do sistema ser comum no universo, abrindo caminho para detecção de novos planetas terranos orbitando esse tipo de estrela. Outro fato importante é 3 deles estarem situados na chamada zona habitável do sistema, fazendo com que estes planetas sejam candidatos a possuírem um ambiente propício para manter ou desenvolver vida. Neste seminário serão expostas as características do sistema TRAPPIST-1, o método de detecção do seus planetas, bem como os planos futuros para a detecção de atmosferas planetárias de planetas como estes, através do telescópio James Webb, que abrirá caminho para novas descobertas nessa área.

O Projeto Estatísticas de Desembarque Pesqueiro RS é resultado de um termo de cooperação técnica assinado em dezembro de 2010 entre o Ministério da Pesca e Aquicultura (MPA) e a Universidade Federal do Rio Grande (FURG). O objetivo é coletar informações declaradas pelos pescadores referentes as descargas (i.e. produção) e esforços pesqueiros da pesca artesanal no estuário da Lagoa dos Patos, complementadas com informações recolhidas tanto da pesca artesanal como das pescas semi-industrial e industrial na região oceânica adjacente.

A Fundação de Apoio a Universidade do Rio Grande (FAURG) é responsável pela gestão financeira do Projeto. A empresa de consultoria ambiental Ardea, vencedora em processo de pregão eletrônico, foi contratada pela FAURG para efetuar as atividades de coleta em campo, seguindo protocolos específicos desenvolvidos pelos pesquisadores da FURG com o apoio metodológico de técnicos do IBGE, parceiro permanente do Projeto.

A gestão técnico-administrativa do Projeto bem como a consolidação do banco de dados e a produção de sumários estatísticos é feita por pesquisadores e bolsistas no Laboratório de Estatística Ambiental (LEA) do Instituto de Matemática, Estatística e Física (IMEF). O LEA também abriga o computador servidor do banco de dados e é repositório das planilhas de dados brutos.

O Boletim 2016, bem como os de anos anteriores, estão disponíveis neste site no seguinte link Boletins e são de domínio público podendo ser distribuídos e utilizados amplamente.

De 13 a 17 de março, exceto dia 15, será realizada a 2ª Acolhida Cidadã da Física da Universidade Federal do Rio Grande (FURG). Será uma semana de atividades envolvendo visitas sociais, visitas em laboratóriospalestras abrangendo todas as ênfases e áreas que os cursos de Física oferecem, entre outros. O evento é promovido pelo Diretório Acadêmico de Física (DAF) César Lattes em parceria com a Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis (Prae).

A ação é aberta a toda comunidade. Mais informações podem ser obtidas com o DAF, pelo Facebook, ou pelo site http://www.daf.furg.br.

O cronograma pode ser acessado clicando AQUI

 

Os cursos de Pré-Calculo e de Matemática Financeira com HP12c do Programa de Incentivo à Matemática (Prima) estão com inscrições abertas para o primeiro semestre de 2017. Os interessados podem realizar a inscrição pelo site http://www.sinsc.furg.br, até 20 de março. O curso é uma promoção da Coordenação de Acompanhamento e Apoio Pedagógico ao Estudante (Caape), da Diretoria do Desenvolvimento do Estudante (Dides), em parceria com o Instituto de Matemática, Estatística e Física (Imef) da Universidade Federal do Rio Grande (FURG).

Os cursos integram o Programa de Acompanhamento e Apoio Pedagógico ao Estudante, desenvolvido pela Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis (Prae), em conjunto com a Pró-Reitoria de Graduação (Prograd). O programa atende ao disposto no Programa Institucional de Desenvolvimento do Estudante (PDE), instituído pela Deliberação Nº 157/2010 do Conselho de Ensino, Pesquisa, Extensão e Administração (Coepea).

Curso de Pré-Calculo 

O curso de Pré-Calculo tem como intuito promover condições necessárias à formação acadêmica do estudante. Assim, são retomados os conteúdos de Matemática Básica de nível Fundamental e Médio, indispensáveis para as disciplinas que envolvem Matemática em nível Superior. Podem participar estudantes matriculados em qualquer curso de Graduação da FURG. Serão disponibilizadas 300 vagas. O curso será ministrado à distância.

Mais informações podem ser obtidas aqui

Curso de Matemática Financeira com HP-12C

O curso de Matemática Financeira com HP-12C é um curso presencial com a utilização da calculadora financeira HP-12C. A atividade tem como objetivo mostrar, por meio de exemplos práticos, os conceitos da Matemática Financeira e suas aplicações com a utilização da calculadora financeira HP12C. Serão disponibilizadas 25 vagas para estudantes matriculados na FURG que já tenham cursado a disciplina de Matemática Financeira ou que esteja dispensado.

Mais informações podem ser obtidas aqui.

Edital - Pré-Calculo

Edital - Matemática Financeira com HP12c

 

VLADMIR ARAUZO HUISA, de 11 anos, ganhou MEDALHA DE OURO da Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas.

Natural de Puno, no Peru, Vladmir Arauzo é aluno do 5º ano na Escola Estadual de Ensino Fundamental Barão de Cerro Largo. No ano passado, o estudante participou, junto com a irmã, da Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas, da qual saiu com a menção honrosa, um feito importante para um aluno do então 4º ano. Para isso, foi necessária uma permissão especial, já que o evento é destinado para alunos do 6º ano em diante. Em 2016, Vladmir competiu novamente no mesmo evento, os resultados saíram nesta semana e revelaram o garoto como medalhista de ouro, o primeiro na cidade desde 2008. Segundo as pesquisas dos pais, o primeiro e único no Brasil vindo de um aluno abaixo do 6º ano.

O gosto do menino pela matemática começou a despertar quando sua irmã mais velha, que também compete na olimpíada, lhe deu algumas aulas. Segundo a mãe, Juana Maria Huisa Martinez, os dois estudam juntos e de forma autodidata, recorrendo aos livros e à internet para resolver impasses encontrados ao longo dos exercícios. Desta forma, Vladmir percebeu que entendia o conteúdo e se divertia com facilidade resolvendo os problemas matemáticos.

No 4º ano do Ensino Fundamental, seu interesse pelas competições começou, sendo que na primeira edição da OBMEP que participou, saiu com a menção honrosa. Aliado aos estudos que já fazia, aos da irmã e ao apoio da mãe, engenheira da indústria de alimentos, competiram no torneio nacional, ganhando destaque no Agora pela conquista da medalha de Bronze, por Adriana Arauzo Huisa, e a premiação do jovem Vladmir.

Atualmente, Vlad está competindo na Olimpíada Brasileira de Matemática (OBM), evento que engloba tanto as escolas públicas como também as privadas, aumentando a concorrência e a dificuldade. Nesse torneio, o estudante do 5º ano também concorre com permissão especial, enfrentando alunos de turmas à sua frente. Segundo a mãe dos estudantes, este tipo de incentivo é importante, porque decide as vagas para a competição internacional.

DIVISÃO DO TEMPO

Tanto Vladmir quanto a irmã são muito organizados e esforçados. Para dividir os horários, ele explica que, de segunda a quinta, reserva seu tempo exclusivamente para os estudos, ficando o lazer para sexta, sábado e domingo, durante uma ou duas horas ao dia. “Eu estudo mais matemática, mas ultimamente tenho focado bastante em programação e xadrez, também”, revelou.

Durante a semana, em dois dias diferentes, Vladmir está inserido em um programa de iniciação científica com a professora Priscila Azevedo da Silveira, no IFRS, onde recebe uma bolsa de incentivo mensal no valor de R$ 100. O aluno e os pais estendem os agradecimentos para outra professora também, a coordenadora da OBMEP Rio Grande, Mauren Moreira da Silva, pelo incentivo à educação e ao reconhecimento e apoio a Vlad.

OUTRA ATIVIDADE

Outra das áreas exploradas pelo estudante é o xadrez. Primeiramente incentivado pelo pai na sua cidade natal, chegou a estudar com professor particular, no entanto foi no Brasil que viu a diversão por trás do jogo. “No início, eu tinha dificuldade em movimentar o cavalo, mas depois fui aprimorando e aprendendo mais sobre jogadas e como de fato funciona o jogo”, aponta o jovem.

Vladmir participou de torneios em Pelotas e em Osório, no Jergs, os Jogos Escolares do Rio Grande do Sul. Como a matemática, a atividade é compartilhada com a sua irmã, que eventualmente também participa de torneios de xadrez.