A Comissão Eleitoral do Instituto de Matemática, Estatística e Física (IMEF) da Universidade Federal do Rio Grande (FURG) informa que o prazo para inscrições das chapas que irão concorrer a coordenação dos Cursos de Graduação e Direção do Instituto inicia hoje (17) e encerra na sexta-feira (21).

Os interessados podem formar chapas para coordenadores dos cursos de Graduação: Matemática - Licenciatura, Matemática Aplicada, Física - Licenciatura, Física - Bacharelado e Ciências Exatas - Licenciatura (SAP). A inscrição das chapas deverá ser realizada junto a Secretaria Geral do IMEF, em horário administrativo, conforme cronograma estabelecido pela Comissão Eleitoral. As chapas compostas por docentes do IMEF lotados fora da sede poderão solicitar e encaminhar a ficha de inscrição assinada e escaneada pelo e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.. A via original deverá ser encaminhada em seguida, para a secretaria do IMEF.

 A inscrição das chapas para direção deverá ser realizada junto à Secretaria Geral do IMEF, em horário administrativo, conforme cronograma e normas estabelecidos pela Comissão Eleitoral e aprovados pelo Conselho da Unidade.
Em anexo estão as normas (com cronograma) e as fichas para inscrição das chapas.

Único equipamento no País a operar fora do estado de São Paulo foi doado pela Unicamp

Tammie Faria Sandri,
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

O Laboratório de Plasma do Instituto de Matemática, Estatística e Física (Imef) da Universidade Federal do Rio Grande (FURG) passa a contar com um reator de fusão termonuclear controlada de plasma: o Tokamak. Pela primeira vez, o Brasil dispõe deste equipamento fora do estado de São Paulo. A doação veio da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Além da FURG, somente a Universidade de São Paulo (USP) e o Instituto de Pesquisas Espaciais (Inpe) possuem o equipamento.

O Tokamak consiste em uma câmara de vácuo para o confinamento de plasma por campos magnéticos. A tecnologia foi desenvolvida na Rússia e a palavra é um acrônimo de toroidal'naya kamera magnitnoi katushki, que significam, em russo, câmara toroidal (formato de um pneu de carro) e bobinas magnéticas.

Responsável pelo Laboratório de Plasma da FURG, professor Magno Collares explica que o equipamento recebido pela Instituição possui tamanho e capacidade adequados para a realização de pesquisas sobre Física e sobre a tecnologia do próprio equipamento, como oportunidade de prática aos estudantes. O professor esclarece que, no reator, o plasma é gerado porque “átomos de hidrogênio são ionizados por colisões com elétrons superaquecidos e mantidos confinados em campos magnéticos”. 

Em experimentos controlados de grande porte, a geração artificial de plasma para a fusão nuclear serve para a produção de energia limpa, principal objetivo dessa área de estudos. Para a produção de energia, o Tokamak precisa ter dimensões maiores, como o ITER, (sigla de “International Thermonuclear Experimental Reactor”), um reator experimental de fusão termonuclear desenvolvido na Europa, em cooperação internacional. “Formaremos profissionais para atuar nessa área”, afirma Collares. Isso porque, na FURG, os estudantes terão a possibilidade de aprender, em escala menor, sobre o funcionamento do reator, testar resultados teóricos e realizar experimentos.

Parcerias

Entusiasmado com a conquista para a FURG, Collares destaca o caráter interdisciplinar dos estudos que poderão ser desenvolvidos nas áreas de Física, Engenharias e Materiais, em nível de graduação e pós-graduação. O Tokamak será utilizado para pesquisas sobre estabilidade de plasmas, confinamento magnético, medida de temperatura e densidade de elétrons, entre outros temas ligados ao sistema de diagnóstico de plasmas.

O equipamento já desperta o interesse de pesquisadores de outras universidades, como o professor da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Joel Pavan, que acompanha a montagem e planeja atividades em cooperação com o Laboratório. "Ainda que antigo, é um equipamento raro. Sua disponibilidade representa a oportunidade de aliar pesquisas nas áreas experimental e teórica", destaca Pavan.

A expectativa é que o equipamento esteja em funcionamento em pouco mais de um mês. Por enquanto, está em processo de montagem. São 10 toneladas de materiais, entre Tokamak e equipamentos acoplados, como capacitores, fonte, espectrômetro e sistema de coleta de dados. “Até o começo de dezembro, esperamos que já esteja operando”, anuncia Collares.

O equipamento

Fabricado no Japão entre o final dos anos 1970 e o início dos anos 1980, o Tokamak que está na FURG foi desenvolvido na Universidade de Shizuoka e doado para a Unicamp na metade dos anos 1990. Ficava no Instituto de Física e servia às pesquisas do Grupo de Física de Plasmas e Fusão Termonuclear Controlada, que tem como responsável o professor Munemasa Machida. Machida atua nas áreas de Física dos Fluídos, Física de Plasmas e Descargas Elétricas há mais de 30 anos, é aposentado e colaborador voluntário na Unicamp e na Universidade de São Paulo (USP).

Segundo Collares, ex-aluno de Machida, devido à aposentadoria, o equipamento ficaria sem utilização na Unicamp. Machida virá a Rio Grande, junto a um bolsista de pós-doutorado, para auxiliar nos momentos iniciais de operação.

Plasma e fusão nuclear

O plasma é considerado o quarto estado da matéria. Embora distante da realidade ensinada nas escolas, onde comumente são abordados o sólido, o líquido e o gasoso, o estado de plasma é encontrado naturalmente nos raios e na aurora boreal. É descrito como um gás ionizado, ou seja, um gás cujos átomos perderam elétrons.

A fusão nuclear também é um processo comum na natureza: ocorre no núcleo das estrelas, como o sol, servindo de fonte de energia.

Por iniciativa do Programa de Pós-Graduação em Física da FURG PPG-Fís/FURG, esta sendo organizado uma série de palestras em parceria com a Livraria Vanguarda, do Shopping Partage, para divulgação científica. O objetivo do Ciclo de Palestras, denominado "Na Praia da Ciência", é oferecer à comunidade de Rio Grande um contato com a Ciência desenvolvida na principal universidade da cidade. Serão abordados diversos temas de caráter científico, conectando a tecnologia e a pesquisa com o nosso cotidiano através de uma linguagem simples e acessível. Os palestrantes são professores e pesquisadores do Instituto de Matemática, Estatística e Física da FURG, e o único pré-requisito para participar é a curiosidade.

Nessa semana a palestrante é a professora de Física do IMEF/FURG Carla Eliete Iochims Dos Santos.

O tema da palestra é Alimentação e Física: unindo Ciência, Saúde & Guloseimas que acontecerá no dia 21 de outubro de 2016 às 19h na Livraria Vanguarda do Shopping Partage, Rio Grande.

Resumo:
Cada indivíduo tem diferentes preferências e restrições alimentares e, portanto, diferentes dietas. A dieta humana inclui vários compostos orgânicos e inorgânicos que aumentam os riscos de desenvolvimento de obesidade, desnutrição, doenças cardiovasculares e câncer, dentre outros. Entretanto, uma alimentação balanceada e saudável pode fornecer nutrientes essenciais para o metabolismo, garantindo o adequado balanço químico do organismo. Além disso, o conhecimento da composição elementar dos alimentos é necessário para garantir produtos livres de contaminação química. A Física, através de técnicas de análise, contribui com importantes resultados sobre os alimentos e bebidas comumente apreciados pela população gaúcha, cujos componentes podem ser benéficos ou não para a saúde. Estes resultados serão apresentados e discutidos durante a palestra, enfatizando as principais aplicações da Física no estudo de alimentos, bebidas e nutrição.

Nos dias 27/09/2016 e 28/09/2016 foi realizada a votação. Participaram do processo 32 sócios, contabilizando 32 (trinta e dois) votos a favor da chapa única. A nova diretoria tomará posse dia 07/10/2016.

Acompanhe todo o processo pelo site do DAF (http://daf.furg.br/index.php/eleicoes-2016) e pela página da Comissão Eleitoral no Facebook (https://www.facebook.com/cedafisica/).

Os inscritos para o Programa de Mestrado Profissional em Matemática da Rede Nacional (Profmat) devem realizar o Exame Nacional de Acesso (ENA) em 22 de outubro. A prova será realizada das 14h às 17h, na sala 1101 do Pavilhão 1 do campus Carreiros. Os candidatos devem chegar até as 13h50 no local.

Com oferta nacional, o Profmat é um curso semipresencial, realizado por uma rede de instituições de ensino superior, no contexto da Universidade Aberta do Brasil, e coordenado pela Sociedade Brasileira de Matemática. A Universidade Federal do Rio Grande (FURG) integra a rede de instituições associadas e oferece 20 vagas para 2017.

O objetivo do curso é atender os professores de Matemática em exercício no ensino básico, especialmente na escola pública, que busquem aprimoramento em sua formação profissional, com ênfase no domínio aprofundado de conteúdo matemático relevante para sua atuação docente.  O programa opera em ampla escala, com o intuito de ter, a médio prazo, impacto substantivo na formação matemática do professor em todo o território nacional.

Mais informações podem ser obtidas nos sites http://www.profmat-sbm.org.br/ ou https://ena.profmat-sbm.org.br/first.php.

O Programa de Pós-Graduação em Física do Imef promove a apresentação do seminário intitulado "O Controle de Temperatura em Medidas de Transporte Elétrico", com o palestrante Lucas Heck dos Santos. O encontro será realizado no dia 05 de outubro de 2016 às 14h, na sala 2211 - pavilhão 2 do Campus Carreiros.

Resumo: A resistividade elétrica é uma propriedade que apresenta dependência direta com a variação de temperatura, e seu estudo permite avaliar o comportamento de amostras de diversos materiais, classificando-os como condutor, semicondutor ou isolante.  A utilização de ambientes criogênicos e fornos é fundamental para submeter os sistemas estudados às variações de temperatura desejadas. Assim, para que seja realizado o monitoramento de uma propriedade física, como a resistividade elétrica, em função da temperatura, se faz necessária a aplicação de protocolos confiáveis para o controle da variação da temperatura, ou da sua estabilização para explorar a dependência da propriedade estudada em função de outro parâmetro, como pressão ou campo magnético. Para realizar a coleta de dados precisa durante estes processos, pode-se utilizar um controlador de temperatura. Este seminário mostrará o trabalho desenvolvido no laboratório de Supercondutividade e Magnetismo da FURG, que consiste na instalação, calibração e operacionalização de um controlador de temperatura (Lake Shore Cryotronics Inc / Modelo 335) que possibilitará a realização de medidas de transporte elétrico em função da temperatura, contribuindo para o estudo de amostras de sistemas eletrônicos fortemente correlacionados.

A Comissão Eleitoral 2016 dos cursos de Física Bacharelado e Licenciatura convida os estudantes dos mesmos a votarem nas eleições da nova chapa gestora do diretório acadêmico César Lattes. As votações ocorrerão nos dias 27 e 28 de Setembro, das 13h30min às 15h10min no Centro de Convivência do Campus Carreiros. Lembrando que a eleição é composta de uma chapa única, cujos candidatos estão disponíveis no site do Diretório Acadêmico da Física.
Acompanhe também o processo através da página da comissão eleitoral no Facebook e no site do DAF.

O Programa de Pós-Graduação em Física do Imef promove a apresentação do seminário intitulado "Núcleos Ativos de Galáxias: Astroquímica nos Ambientes mais Inóspitos do Universo", com a palestrante Dinalva Sales (IMEF). O encontro será realizado no dia 28 de setembro de 2016 às 14h, na sala 2211 - pavilhão 2 do Campus Carreiros.

Resumo: A Astroquímica é uma área da ciência que estuda a formação, destruição e abundância de moléculas em diversos ambientes astronômicos. Esteseminário descreverá como podemos usar a astroquímica como indicador das propriedades físicas da poeira/gás presentes em ambientes de altas energias encontradas nas galáxias com núcleo ativo (AGN). Galáxias ativas são aquelas em que um Buraco Negro Supermassivo no seu Núcleo está capturando matéria da sua vizinhança e através de um disco de acreção, transformando-a em energia luminosa e cinética de jatos de partículas relativísticas. Esta linha de pesquisa promove a transdisciplinaridade entre a Astronomia, a Física e Química tendo como um dos principais objetivos estudar a química orgânica pre-biótica contribuindo para melhorar nosso conhecimento sobre a origem e presença da vida na Terra e no Universo.

Estão abertas, até 12 de outubro, as inscrições para o processo seletivo 2017, do Programa de Mestrado Nacional Profissional em Ensino de Física (MNPEF). Estão disponíveis 10 vagas para ingresso da turma de 2017, do Polo 21, do Instituto de Matemática, Estatística e Física (Imef), na Universidade Federal do Rio Grande (FURG).

O mestrado é um programa nacional de pós-graduação de caráter profissional, voltado a professores de ensino superior, médio e fundamental, com ênfase principal em aspectos de conteúdos na Área do Ensino de Física. O curso é mantido pela Sociedade Brasileira de Física (SBF),

As inscrições devem ser realizadas no link: https://sec.sbfisica.org.br/mnpef/2017/formulario.php

Mais informações podem ser obtidas no site do MNPEF do Polo 21 FURG. http://www.mnpefprg.furg.br/

O Programa de Pós-Graduação em Física do Imef promove a apresentação do seminário intitulado "Próxima Centauri b: Um exoplaneta vizinho", com a palestrante Laura Amaral (IMEF). O encontro será realizado no dia 14 de setembro de 2016 às 14h, na sala 2211 - pavilhão 2 do Campus Carreiros.


Resumo: A astrofísica planetária vem progredindo com a descoberta de novos exoplanetas através de missões como CoRoT, Kepler/k2, e o detector HARPS, que já detectaram juntos mais de 2300 planetas fora do sistema solar. Dentre eles, está o recém descoberto Próxima Centauri b, que se encontra em órbita da estrela mais próxima do sistema solar, Próxima Centauri b está na chamada zona habitável de seu sistema. Tais características fazem deste planeta um bom candidato para o estudo e melhor entendimento da ciência planetária, visto que através de missões como o Starshot, seria possível alcançar o sistema em aproximadamente 20 anos para a tomada de dados sobre sua atmosfera e demais características.